Resenha: Once Dead, Twice Shy (Kim Harrison)






"Meu nome é Madison Avery, e eu estou aqui para contar-lhe que há mais lá fora do que você pode ver, ouvir ou tocar. Porque eu estou lá. Vendo isso. Tocando isso. Vivendo isso."


O par de Madison era um matador - literalmente. Por alguma razão ela foi o alvo de um ceifador negro - sim, aquele tipo de ceifador -, que tinha a intenção de se livrar dela, do seu corpo e de sua alma. Mas, antes que ele pudesse terminar o trabalho, Madison foi capaz de pegar o estranho reluzente amuleto dele e fugir.Agora, ela está presa na Terra - morta sem partir. De alguma forma o amuleto dá a ela a ilusão de um corpo, permitindo que ela engane a linha entre a vida e a morte. Ela continua não sabendo por que o ceifador negro está atrás dela, mas ela não vai simplesmente ficar sentada e deixar o destino seguir seu curso.Com um pouco de ingenuidade, alguma luz no estrada e a ajuda de um ceifador branco (um dos caras bons! Talvez...), o garoto fofo por quem tem uma quedinha e, é claro, seu anjo-da-guarda, Madison está pronta para controlar o próprio destino de um vez por todas, antes que ele a controle.Bem, isso se ela acreditasse nessa coisa

Madison Avery achou que o pior de sua vida tinha passado quando foi obrigada a morar com seu pai. Tantos anos tentando se enturmar na antiga escola, e tudo em vão. Novo ambiente, novas pessoas, nova vida. Bom, não exatamente uma vida, já que no dia do baile ela conheceu a Morte em pessoa. Por algum motivo desconhecido, ele, aquele lindo menino do baile, tentou matá-la, e agora está atrás do amuleto que ela roubou - e o único motivo de ela ainda permanecer "viva".





É mera questão de tempo até o "timekeeper" aparecer e complicar a vida de Madison. Até lá, ela tem que aprender a lidar com suas novas habilidades, proteger seus amigos e fugir de outros "inimigos".
Para quem não sabe, "Once Dead, Twice Shy" é o livro de Kim Harrison que dá continuação ao conto "Madison Avery e a Morte", presente no livro "Formaturas Infernais". Dos contos desse livro, foi o que mais gostei. Fiquei anos procurando a tradução na internet - porque não há previsão de lançamento no Brasil, e nem sei se um dia será lançado - e finalmente achei. 
Eu esperava mais do livro. O conto me deixou tão empolgada e tão esperançosa, que talvez eu tenha criado expectativas demais. E eu imaginava uma história completamente diferente - admito, esperava um romance entre Madison e a Morte. Isso não significa que a história seja ruim. Eu achei muito boa, na verdade. É criativa e, embora não foque muito no romance, tira alguns suspiros.
Poucas vezes podemos ler um livro em que a mocinha é que tem poderes e que deve proteger os outros e não somente ser protegida. O típico modelo de livro é aquele em que temos um herói poderoso e, por isso, perigoso para a mocinha, que acaba se arriscando para salvá-lo mesmo sem poderes. Em "Once Dead, Twice Shy", pelo contrário, temos uma mocinha com poderes que ela nem sabe direito, tendo que proteger um cara que a esnobou, mas que se mostra extremamente fofo. Josh cai de de para-quedas na confusão da entre-vida de Madison, e nada mais justo do que ela protegê-lo.
Dou um grande destaque para os demais personagens. Barnabas é o melhor amigo, mas que também falha, deixando Madison na mão de vez em quando. Ron e Kairos são dois controladores. E Nakita, é a "vilã amiga" - adorei ela ao final do livro.
O interessante do livro é a questão do certo e errado. Não é tudo no preto e no branco. Os ceifadores negros não são necessariamente maus, e os ceifadores brancos não são necessariamente bons. Tudo isso não passa de mera caracterização. Eles apenas defendem pontos de vista diferentes. E Madison, que não é tão tola quanto outras heroínas, tem que saber se posicionar numa disputa da qual ela não queria participar.

Para quem não sabe, "Once Dead, Twice Shy" é o livro de Kim Harrison que dá continuação ao conto "Madison Avery e a Morte", presente no livro "Formaturas Infernais". Dos contos desse livro, foi o que mais gostei. Fiquei anos procurando a tradução na internet - porque não há previsão de lançamento no Brasil - e finalmente achei. 
Os direitos de publicação, no Brasil, tinham sido comprados pela Galera Record; mas, como já foi dito, não há previsão de lançamento - nunca houve na verdade, e acho difícil que haja, visto o tempo que se passou desde o lançamento do livro "Formaturas Infernais". 
São três livros ao todo. Além de "Once Dead, Twice Shy", há "Early to Death, Early to Rise" e "Something Deadly This Way Comes". 
Recomendo a leitura. Porém, é importante que vocês leiam o conto antes do livro para melhor compreensão da história.

P.S.: Curiosa para saber quem será o personagem, cuja existência é revelada ao final do primeiro livro. Tenho algumas suspeitas, e espero que estejam erradas, porque adoro surpresas literárias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário