Resenha – Mordida (Meg Cabot)

 

MORDIDA__1337391720P

Todo mundo já deu um passo maior que as pernas… E Meena sabe bem disso. Apesar de seu dom sobrenatural e mesmo depois de encontrar alguém que o valorize, ela sabe que foi longe demais ao se envolver com Lucien. E por quê? Porque ele é um vampiro? Porque ele é o filho do Drácula? Porque ela não consegue esquecer aquela mordida ou… Todas as alternativas acima?

Mas tudo isso é passado. Agora, graças a sua habilidade de prever quando alguém vai morrer – tá, nem todo mundo aprecia esse tipo de informação, mas até que algum potencial dela foi reconhecido –, Meena foi contratada pela Guarda Palatina, uma unidade secreta do Vaticano especializada em caçar vampiros.

Ela sequer acreditava na existência desses seres, mas, depois de seu namoro com o príncipe das trevas, pode-se dizer que ela os conhece MUITO bem. E prometeu manter distância deles – pelo menos até conseguir comprovar sua teoria de que vampiros não são tão ruins quanto se pensa. Afinal, não é porque perderam suas almas que também teriam perdido a capacidade de amar, certo?

Só que quase ninguém parece interessado em ouvir essa teoria. O renomado – e charmoso – caçador de vampiros Alaric Wulf, por exemplo,, não é muito fã da ideia. Tudo bem, ele não parece ser fã de muitas coisas… E Meena não está com tempo para se preocupar com isso. Ela tem uma missão!

Uma nova ameaça põe risco não só a cidade Manhattan e a Guarda Palatina, mas os amigos e a família de Meena. Enquanto tenta descobrir a verdade, ela tem seus sentimentos expostos e sua lealdade posta à prova. E as tentações que imaginou não exitirem mais se tornam impossíveis de resistir.

E faltava apenas uma mordida para que Meena estivesse a um passo de se tornar vampira. Bem… Faltava. Alguém está tranformando os conhecidos de Meena Harper nas criatura sque ela mais ama, teme e odeia: vampiros. E Manhattan se torna um lugar cada vez mais perigoso para ela e para as pessoas prózximas a ela.

Ma por quê? Qual o interesse dos vampiros nela? Não há explicações agora que a Guarda Palatina – sua empregadora – já acabou com a maior parte dos súditos de Lucien – sim, o príncipe das trevas e ex-namorado de Meena. E o que explica esses estranhos desparecimentos de turistas?

Meena já sabia que a tranquilidade de sua vida não duraria muito tempo – nunca durava. Estava na hora de Lucien aparecer e virar sua vida do avesso novamente. O problema é que, dessa vez, nenhum deles espera o mal que os espreita, e nem mesmo o dom de Meena ou a habilidade de Alaric poderão salvá-los das forças do mal.

Mordida é a continução do livro Insaciável, que já foi resenhado aqui no blog. preciso dizer que gostei mais do primeiro, mas não desgostei do segundo.

Achei que o livro foi menos focado em Meena, que quase nem utiliza seu “dom” neste livro. O foco é maior na história de Lucien e na possibilidade de ele conter um pouco de bondade, mesmo quando estamos na visão de Meena ou Alaric.

De início já se pode imaginar o vilão da história. No entanto, como sempre, Meg consegue nos surpreender com um final inesperado.

Eu, com minha mania de ler as últimas páginas, acabei demorando mais para ler o livro. Minha ansiedade me levou a ler o final e imaginar diferentes coisas, as quais não me agradavam. Então, fiquei desanimada para continuar. Porém, quando reuni forças para terminar o livro, vi que jamais deveria ter parado de lê-lo por não gostar do final, pois a história se desenvolve de uma forma que você não consegue desgostar.

Um vampiro, um caçador, um padre, um anjo, uma paranormal, um livro, uma história. Tudo se junta em mais uma guerra entre o bem e o mal, onde uma se mascara pelo outro e ninguém pode confiar em ninguém. O pior inimigo pode estar ao seu lado. E a resposta para a salvação do futuro, pode estar na maldição do passado

Nesse livro, os mocinhos viram vilões e os “vilões” – bom, eles não são tão mocinhos assim. A maldade está em cada criatura, não importa se vampiro, humano ou mesmo anjos. Todo ser que pensa pode ser convertido. Nesse mundo misto, de crueldade e bondade, onde não importa de você é “natural” ou “sobrenatural”, nunca se está seguro. E, infelizmente, o poder de Meena não pode salvá-la do mal que a rodeia.

Queria falar mais, mas acho que estarei dando spoilers. Então, boa leitura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário