Helena de Troia (Francesca Petrizzo)

250_9788581780108_Helena de Troia

Um navio retorna de uma intensa batalha pelas costas gregas. Uma mulher observa o contorno do Peloponeso na penumbra do crepúsculo. É a jovem Helena, oferecida pelo pai ao conquistador Menelau para garantir a paz e sobrevivência de seu povo. Uma fatídica decisão que seria carregada de tristeza e tragédia, porque Helena começa a buscar nos braços de outros aquilo que lhe fora negado. Numa narrativa lírica e original, esta obra traz a versão de Helena da história lendária que é conhecida em todo o mundo, a disputa que originou a guerra de Troia. De sua infância em Esparta aos anos turbulentos de sua união com Menelau e a fuga com Páris e todas as suas consequências. A vida de uma mulher que estava destinada ao poder, mas era movida à paixão e seu amor provocou uma das guerras mais famosas de todos os tempos. “Helena é meu nome, mas posso ouvi-los me chamando de adúltera nas minhas costas. Eu nasci em Esparta, mas fui embora para Troia, por amor. Eles costumavam dizer que eu era a mulher mais bonita do mundo e viviam julgando o quão pouco ganhei e o quanto perdi depois que fugi, mas eles não estavam lá depois de tudo o que passei. Eu estava.”

Como eu já havia comentado no outro post, estava lendo esse livro, “Helena de Troia – Memórias da mulher mais desejada do mundo”, de Francesca Petrizzo. Não me atrevo a comentar o título original, porque, pelo pouco que lembro de minahs aulas de espanhol (embora a autora seja italiana, lembrei do significado da palavra em espanhol. Sei que existem palavras iguais com significados diferentes, mas não creio que seja o caso), sei que a tradução do título mascarou o sugestivo título original – que, na verdade, explica várias falas de Helena.

Eu esperava algo diferente do livro. Esperava uma Helena mais forte, talvez. E um foco maior no romance com Páris – para os fãs do famoso casal, o livro é uma tristeza. Eu esperava que o livro mudasse aquela pontada que sempre sentia ao ouvir a história de Troia: de que Páris e Helena eram dois inconsequentes, caprichosos, e, principalmente, de que Páris era uma pessoa extremamente infantil.

Páris nem tem muito destaque na história – a não ser que foi quem levou Helena para Tróia. É apenas mais um dos erros da protagonista – que coleciona erros e fantasmas. E, já fazendo uma conversa com o livro anterior (Predestinados), digo que Páris de Francesca se difere muito do Lucas de Josephine. São pessoas completamente diferentes. Páris enoja, enquanto Lucas nos faz suspirar. Helen e Helena também diferem um pouco, talvez por terem levado vidas completamente diferentes.

Helena tinha tudo e nada, ao mesmo tempo. Era a mulher mais bela do mundo, mas que vivia de fantasmas. A decepção era a herança de tamanha beleza. Sempre sonhara com o amor, o que nunca lhe fora permitido viver. Talvez tivesse vivido isso durante alguns anos da guerra, com uma pessoa que, em meu ponto de vista, era inesperada. Contudo, sempre que pensou vivê-lo ou agir por ele, estava errada. Não foi amada por seus pais, seus irmãos, por sua filha e por grande parte de seus amantes, escravos da luxúria masculina. Ela própria era escrava de seus desejos e caprichos.

O maior medo da pequena Helena era ser como sua mãe, Leda. O que percebemos ao longo do livro é que Helena traçou seu destino de maneira a tornar-se como ela: fria e solitária. Até que ela chega em Troia e consegue destruir o mais próximo que teve de uma família, ao lado de Calira, Heitor, Eneias e Cassandra.

Por fim, o que essa Helena mais me passou foi pena. Tive pena porque Helena nunca se deixou amar por completo. Ficou presa a sonhos, fantasmas, e pessoas que só a decpcionavam, porque não queriam nada além de seu corpo. Ficou presa a seus medos. Foi raptada, ainda pequena, por um homem repugnante. Amou uma homem sem nem sequer ver-lhe a face. Entregou-se a um homem que não lutou por ela. Casou-se com um covarde.  Excusou-se a fugir com pai de sua filha. Aceitou fugir com outro covarde, largando sua filha e sendo a desculpa de uma guerra que duraria 10 anos.

Destaques para Cassandra – adoro essa personagem desde que li “Incêndio de Tróia”, da Marion Zimmer Bradley, livro que recomendo – e para o final inesperado. O final de Aquiles foi inesperado e muito bom. E o de Helena… Eu, com minha mania adorável e ler as últimas páginas, tinha imaginado algo muito diferente, porque, sem querer, pulei as páginas finais e acabei lendo o evento anterior. Achava que Helena ficaria com o primeiro (ou segundo) de seus fantasmas – o que não seria tão ruim, já que ela finalmente teria alguma felicidade. Quando vi que estava errada e comecei a ler o capítulo final, desesperei-me por Helena. Não queria que ela tivesse o destino que as primeiras linhas do epílogo prenunciavam. E, quando li as últimas linhas, fiquei: Sim, finalmente você tomou coragem e fez a coisa certa. Foi um desfecho correto para ela.

Terminando, peço desculpas pelos atrasos e falta de posts. Está um pouco complciado conciliar faculdade, estágio, leitura de livros e blog, sem falar em uma vida social, hehe.

E, concluo dizendo que é um livro bom, não maravilhoso. E não recomendo se você quiser algo que a faça suspirar ou simplesmente ficar feliz. A Helena de Francesca foi tudo, menos isso.

Resenha – Predestinados (Josephine Angelini)

capa139x208

Helen Hamilton passou a vida inteira tentando disfarçar o fato de que é uma garota diferente, mas agora, aos dezesseis anos, isto está cada vez mais difícil. Não apenas por causa de sua força sobre-humana ou porque, sem motivo aparente, pessoas estranhas simplesmente a atacam, mas também porque ela teme que esteja perdendo o juízo. Pesadelos recorrentes com uma estranha viagem pelo deserto e visões de três mulheres derramando lágrimas de sangue a têm atormentado noite e dia. Ao mesmo tempo, um impulso inexplicável passa a dominar seus pensamentos: Helen quer matar Lucas, um dos rapazes da glamorosa e misteriosa família Delos. À medida que descobre mais sobre sua verdadeira origem, ela percebe que a relação dos dois está submetida não só à sua vontade, mas a forças muito antigas.

 

Helen, a bela e tímida Helen. Durante 16 anos, ela viveu naquela ilha, rodeada pelo temível oceano. E tudo parece mudar com a chegada daquela estranha família.

Uma fúria incompreensível toma conta do corpo da gentil Helen desde que a família Delos se fez presente. Mas o que poderiz explicar tal sentimento? Sem falar nos sonhos estranhos e muito reais que Helen vem tendo. Será que a previsão de Claire – sua melhor amiga – ,de que cada uma delas se apaixonará por um menino Delos, esstá errada? Mas, essa raiva que quase fez Helen matar um deles não é mera ilusão, assim como aquelas três mulheres. O que será que o destino prepara para Helen, agora que ela se encontra em uma disputa entre famílias de semideuses?

Autor(a) - Lauren Kate



Lauren Kate nasceu no dia 21 de março de 1981, é uma escritora americana de ficção adulto/jovem. Uma das suas obras mais famosas é a saga Fallen, que chegou a terceira posição da lista de best-sellers do jornal The New York Times.

Resenha - Quando Cai o Raio (Meg Cabot)


                                            
Mandaram que eu escrevesse um relato, em primeira pessoa, sobre o que aconteceu comigo, falando toda a verdade e nada mais do que a verdade. Então tá. O que aconteceu comigo: fui atingida por um raio. Tudo culpa da Ruth, que resolveu que queria voltar da escola andando, para queimar uns quilinhos... Acabou que eu é quem fui queimada. Ninguém acreditou em mim, nem eu mesma, pra ser sincera. Eu não estava me sentindo mal, não tinha nenhuma marca ou machucado... Nem estava chamuscada! Mas logo as coisas começaram a mudar. Quando acordei no dia seguinte, de alguma forma sabia onde estavam as duas crianças cujas fotos estampavam a caixa de leite, aquelas do Disque-Desaparecidos, sabe? Pois é. Eu tinha certeza absoluta sobre onde elas estavam. O problema é que eu achava que estava fazendo uma coisa boa! Liguei para o Disque-Desaparecidos e avisei à simpática senhorinha onde estavam essas duas crianças, e depois mais outras... Até que dois não-tão-simpáticos agentes federais apareceram na minha escola para conversar comigo. Até parece! Agora sou foragida da justiça, tenho que ajudar um dos meninos que foram encontrados e ainda preciso disfarçar o quanto o motoqueiro da sala de detenção mexe comigo... Ainda bem que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar... Certo?

Novidades Literárias – Parte II

Parte II do post Novidades Literárias, que ficou um pouco grande.

Como eu disse na Parte I, acabei separando por editoras. Então, neste post, estão os lançamentos da Editora Planeta, da Suma de Letras, da iD Editora e da LeYa.

Espero que gostem!

 

thumb150x233__201208011645480.despertar_thumb[4] Livro: Despertar (Amanda Hocking)

Editora: Planeta

Lindas. Corajosas. Perigosas. O tipo de garota que você inveja, o tipo de garota que você quer odiar. Hospedadas na cidade para passar o verão, Penn, Lexi e Thea chamaram a atenção de todos ? mas foi Gemma que conseguiu a atenção delas.
Gemma parece ter tudo: bonita, despreocupada e começando um relacionamento com Alex, seu vizinho. Mas em uma noite a sua vida muda para sempre. Quando sai para dar um mergulho durante a noite ela encontra as três forasteiras se divertindo e é convidada por elas para participar da festa. No dia seguinte ela acorda na praia se sentindo mal e com a sensação de que algo em seu corpo mudou.
De repente Gemma se torna mais forte, mais rápida e mais bela do que nunca. Mas seus novos poderes vêm com um preço aterrorizante...

Novidades Literárias - Parte I

Eu andei pesquisando nos sites das editoras mais conhecidas e acabei montando esse post com alguns lançamentos do mês de agosto e setembro para que vocês fiquem por dentro do que veio para nós neste mês e do que está por vir no próximo.
O post original ficou um pouco grande, então, separei em duas partes, conforme as editoras. Aqui estão os lançamentos da Editora Rocco, da Verus Editora, da Record e da Galera Record.
Para quem quiser ver a Parte II, basta clicar no link.
Espero que gostem!
 
PERIGOSAS_PLL
Livro: Perigosas (Sara Shepard)
Editora: Rocco
Em Perigosas, oitavo livro da série bestseller Pretty Little Liars, que a Rocco publica no Brasil, as ex-melhores amigas Spencer Hastings, Emily Fields, Hanna Marin e Aria Montgomery têm a surpresa de suas vidas. Trata-se de uma nova personagem que surge na trama dias depois da prisão do suposto assassino de Alison DiLaurentis para confundir ainda mais as adolescentes – e os leitores. Fascinadas, tal como operárias em uma colmeia, Spencer, Emily, Hanna e Aria rapidamente se veem envolvidas pela nova abelha-rainha de Rosewood. Mas será que ela é o que parece ser... ou melhor... quem diz ser?
Até ali, as meninas estavam convencidas de que finalmente tinham deixado o passado para trás e se livrado da ameaça de “A”, a misteriosa figura que as chantageou por meses e depois revelou alguns de seus segredos mais íntimos. Além disso, a polícia prendera o esquisito William Ford como assassino de Ali e de Jenna Cavanaugh, a garota que Ali cegara por acidente antes de morrer. A transição de volta à normalidade estava sendo mais tranquila para Emily, envolvida com a rotina do time de natação, e para Aria, que engrenara de vez o namoro com o lindo Noel Khan e conseguira estabilidade no relacionamento com os pais.
Já para Spencer e Hanna, o cenário era bem mais complicado. A primeira se sentia culpada por ter acabado com o casamento dos pais ao revelar um segredo devastador sobre o Sr. Hastings e a Sra. DiLaurentis, e ainda mais odiada por sua irmã, Melissa. Hanna, por sua vez, perdera seu status de garota mais popular de Rosewood Day quando Kate, a enteada de seu pai, espalhou para todo o colégio sua internação em um sanatório para evitar que ela voltasse a sofrer com distúrbios alimentares. Para recuperar seu antigo prestígio, Hanna abre mão até de Mike, o irmão de Aria, por quem é apaixonada.
Mas uma revelação bombástica faz com que nada disso pareça importante e muda mais uma vez o rumo dos acontecimentos em Rosewood, levando as meninas a acreditarem até mesmo que tudo pode voltar a ser como antes do desaparecimento de Alison, ou ainda melhor. Apenas Aria sente que seria melhor não tentar reescrever o passado. Mas acaba sendo levada a embarcar numa viagem que vai levá-las muito mais longe do que elas jamais poderiam imaginar – Spencer, Emily, Hanna e Aria finalmente descobrirão que o preço da verdade pode ser alto demais.
  exibe_thumb
Livro: Um Romântico Incorrigível (Devan Sipher)
Editora: Verus Editora
Ele é um romântico incorrigível e também profissional, pois escreve uma coluna sobre casamentos para um importante jornal, cobrindo festas espetaculares de costa a costa do país. Mas há uma linha tênue entre ser um repórter bem-sucedido com uma matéria para escrever e ser um cara sozinho num sábado à noite, no casamento de um desconhecido.
Tudo muda na primeira noite do ano, quando Gavin conhece Melinda, uma jornalista de viagens com um espírito aventureiro. Mas Melinda vai embora e parece ter desaparecido sem deixar rastros. Gavin inicia então uma jornada por
Nova York em busca dessa intrigante mulher. E aprende que há algo pior do que perdê-la: ter que escrever um artigo sobre o casamento dela.