Resenha – Predestinados (Josephine Angelini)

capa139x208

Helen Hamilton passou a vida inteira tentando disfarçar o fato de que é uma garota diferente, mas agora, aos dezesseis anos, isto está cada vez mais difícil. Não apenas por causa de sua força sobre-humana ou porque, sem motivo aparente, pessoas estranhas simplesmente a atacam, mas também porque ela teme que esteja perdendo o juízo. Pesadelos recorrentes com uma estranha viagem pelo deserto e visões de três mulheres derramando lágrimas de sangue a têm atormentado noite e dia. Ao mesmo tempo, um impulso inexplicável passa a dominar seus pensamentos: Helen quer matar Lucas, um dos rapazes da glamorosa e misteriosa família Delos. À medida que descobre mais sobre sua verdadeira origem, ela percebe que a relação dos dois está submetida não só à sua vontade, mas a forças muito antigas.

 

Helen, a bela e tímida Helen. Durante 16 anos, ela viveu naquela ilha, rodeada pelo temível oceano. E tudo parece mudar com a chegada daquela estranha família.

Uma fúria incompreensível toma conta do corpo da gentil Helen desde que a família Delos se fez presente. Mas o que poderiz explicar tal sentimento? Sem falar nos sonhos estranhos e muito reais que Helen vem tendo. Será que a previsão de Claire – sua melhor amiga – ,de que cada uma delas se apaixonará por um menino Delos, esstá errada? Mas, essa raiva que quase fez Helen matar um deles não é mera ilusão, assim como aquelas três mulheres. O que será que o destino prepara para Helen, agora que ela se encontra em uma disputa entre famílias de semideuses?

Tudo bem, eu sou viciada em mitologia grega. E talvez meu nome tenha inflência nisso – ou não. Mas o fato é que simplesmente amei esse livro. Alguns podem afirmar que estou tendo uma “charlice” (Do livro “As vantagens de ser invisível”), e que todo livro que eu leio eu amo e se torna um dos meus favoritos. Não posso fazer nada, entretanto. Simplesmente amei a história, apesar de já ter lido muitas resenhas negativas.

De fato temos uma personagem principal bem clichê: linda, teimosa, obstinada, piedosa, gentil, e que não percebe nada disso. Helen Hamilton passou a vida inteira tentando se esconder e, depois da chegada da família Delos, ela descobriu que não precisava mais fazer isso. A história, porém, não se resume a isso. Eu acho ruim que as pessoas fiquem comparando livros apenas pelo aspecto das características dos personagens, porque 90% dos romances românticos têm o mesmo perfil. Não é porque um livro virou filme e ficou famoso, tornando-se febre entre as adolescentes, que todos os outros são cópias ruins do mesmo. Devemos analisar os detalhes das histórias e saber diferenciá-las. Ou então, criticar todos os livros e até mesmo o famoso, pois aposto que ele também se encaixa em cópia de um modelo mais antigo. Mocinahs bobas? Elas existem desde Pandora e Psiquê, que resolveram sucumbir à curiosidade. Agora, quem diz que os livros contemporâneos são meras cópias dos mitos gregos?

E, de fato, temos alguns acontecimentos do livro que nos remetem a outros livros mais famosos – proteção no quarto, para quem for ler o livro. Mas… Eu prefiro me ater ao resto da história.

Como vocês já devem ter percebido, é uma releitura de um dos mitos mais conhecidos da história: A Guerra de Troia. Mas como os personagens concluíram a mesma, só as sequências dirão. Estariam ele fadados a seguir os passos daqueles que causaram uma das maiores guerras envolvendo homens e deuses? Estaria o mundo preparado para esse conflito? Seria o amor capaz de salvar ou destruir o mundo?

Todos esperam que Helen e Lucas hajam de forma diferente de Helena e Páris, e salvem as famílais Descendentes, mas, ao mesmo tempo, todos esperam que eles façam isso. Ninguém realmente acredita que eles não cometerão os mesmo erros.

Achei interessante, porque cada hora surge um novo segredo, que você, leitor, sabe que é mentira, mas não consegue entender o motivo. Ficamos intrigados com as possíveis reazões de uma fala ou ato. E ficamos com raiva da impossibilidade que o destino e as famílias impõem ao casal. E, acima de tudo, ficamos angustiados ao ver que o destino deles caminha para o mesma tragédia que foi Tróia

Alguns dizem que é uma mistura de Percy Jackson com Romeu e Julieta. Se eu concordo? Sim, e é por isso que eu adoro. Sempre senti falta de um romance maior em Percy Jackson – mesmo que eu ame a série – e com Predestinados eu consegui.

Estou lendo o livro Helena de Tróia, de Francesca Petrizzo, e depois quero fazer um post-conversa entre os dois livros.

Espero que gostem!

P.S: Recomendo a leitura do livro citado, “As Vantagens de Ser Invisível”, de Stephen Chbosky, que se tornou um filme, com estreia prevista para outubro deste ano no Brasil.

4 comentários:

  1. Eu tinha lido a sinopse dos livros, e sou uma tremenda fã de mitologia grega, me apaixonei na hora. Fico feliz que alguém com esse mesmo amor (PJ e Helena de Troia) tenha falado bem desse livro, gostei bastante da resenha e realmente não gosto que fiquem comparando os livros o tempo todo. Esta na minha (gigante) lista de livros que vou ler esse ano, parabéns pelo trabalho, ficou ótima.
    Beijos, Mony Dias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!
      É difícil achar algum gênero e tema que eu não goste, mas tenho um carinho especial por mitologia.
      Espero que você goste do livro quando ler!
      beijos

      Excluir
  2. Não curto muito mitologia, mas depois de ler sua resenha posso dizer que estou animada para tê-lo em minhas mãos.
    ESTOU APAIXONADA PELO LAYOUT!
    Visite o http://donzelasarmadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você está animada!
      E obrigada pelo elogio ao layout - é bom saber o que as pessoas pensam a respeito disso também, até porque eu não entendo muita coisa de html e cia e nunca sei se as pessoas estão gostando ou não das minhas experiências no blog hehe
      E vou visitar seu blog sim :)

      Excluir